Benninghoven e Tarmac — Exemplo de uma relação de longa data e de sucesso com o cliente

Superar juntos as condições de mercado em constante mudança

A Tarmac investiu pela primeira vez na tecnologia da Benninghoven há mais de 40 anos: a história que começou com um queimador se transformou em uma cooperação intensiva entre a empresa britânica de materiais e soluções de construção e o especialista alemão em usinas de asfalto. A usina mais recente, uma TBA 4000, está situada junto de um grande canteiro de obras na zona de Birmingham e produz asfalto para a expansão de uma rodovia.


Referência atual: projeto de rodovia com uma TBA 4000

A Tarmac é a empresa líder no Reino Unido no setor da construção de estradas e materiais de construção sustentáveis e tem uma parceria de sucesso com a Benninghoven há mais de 20 anos. Nessas duas décadas, a Tarmac e a Benninghoven não só conseguiram reagir às condições de mercado em constante mudança, como assumiram sempre um papel pioneiro. Em termos concretos, isso significou (e ainda significa) reduzir emissões, apresentar elevadas taxas de adição de material reciclado e operar as usinas da forma mais sustentável possível.

Um exemplo que ilustra bem isso é o mais recente projeto realizado em conjunto: na zona de Birmingham, a Tarmac recebeu uma encomenda para a expansão da rodovia A47 Heartlands Parkway. Para produzir asfalto suficiente para esse grande projeto e para manter as rotas de transporte curtas, a empresa investiu em uma nova usina de asfalto do tipo TBA 4000.

Benninghoven

“A qualidade de uma parceria é evidente logo no serviço de assistência técnica. A equipe do Wirtgen Group no Reino Unido está sempre lá para nos ajudar e aconselhar.”

Anthony Smith, Diretor Técnico da Tarmac

Várias usinas da Benninghoven produzem asfalto para a Tarmac

A Tarmac é um fornecedor líder de materiais de construção, incluindo agregados, asfalto, cimento, cal e concreto, e também apoia seus clientes nos setores da reciclagem e construção de estradas. Neste momento, a Tarmac emprega 7.000 pessoas em 400 unidades de produção. A flexibilidade oferecida pela Benninghoven é muito prática para a entidade exploradora das múltiplas usinas de mistura. O fato de todas elas serem da Benninghoven não é coincidência. Por um lado, isso se deve ao fato de a Benninghoven ter a capacidade de atender de forma confiável uma grande variedade de requisitos no que respeita a fórmulas de materiais de mistura, mas também em termos de operação sustentável das usinas de asfalto. Como se sabe, essas exigências estão se tornando cada vez mais rigorosas em muitos mercados — o Reino Unido e a Tarmac não são exceção. Por outro lado, a Tarmac e a Benninghoven colaboram em uma relação baseada na confiança e no espírito de parceria. “A qualidade de uma parceria é evidente logo no serviço de assistência técnica. A equipe do Wirtgen Group no Reino Unido está sempre lá para nos ajudar e aconselhar quando precisamos”, diz Anthony Smith, Diretor Técnico da Tarmac.

“Além disso, as usinas da Benninghoven nos ajudam a atingir nossos objetivos no que respeita à operação sustentável e eficiente. Elas usam energia de forma moderada, emitem cada vez menos emissões e permitem taxas de adição de material reciclado cada vez maiores”, explica Miles Dobson, Diretor de Fabricação da Tarmac.

“Nossas usinas da Benninghoven nos ajudam a atingir nossos objetivos no que respeita à operação sustentável e eficiente. Elas usam energia de forma moderada, emitem cada vez menos emissões e permitem taxas de adição de material reciclado cada vez maiores.”

Miles Dobson, Diretor de Fabricação da Tarmac

Usina transportável da Benninghoven (Transportable Benninghoven Anlage — TBA) nas instalações da Tarmac em Washwood Heath.

O granulado de borracha proveniente de pneus de automóveis conserva recursos

Logo em sua estreia, a nova TBA 4000 da Tarmac, na zona de Birmingham, teve que encarar um trabalho complexo: como primeira usina de asfalto nas Midlands britânicas, ela processou o granulado de borracha, que foi obtido a partir de pneus de automóveis reciclados e se destina a manter o pavimento mais elástico.

O material de mistura para a A47 foi composto por esse agregado especial, juntamente com mineral branco e uma proporção de asfalto antigo, assim como betume. As vantagens da nova fórmula não consistem somente na conservação de recursos: a fórmula pode ser produzida como asfalto de baixa temperatura ou mistura quente. Como o nome sugere, a temperatura é mais baixa em comparação com os materiais de mistura convencionais. Enquanto este último é normalmente misturado a 160 °C, a temperatura de produção do asfalto de baixa temperatura está entre 100 °C e 110 °C. Isso significa que, em comparação com os materiais de mistura a quente convencionais, o processo de produção economiza combustível e CO₂.


O asfalto de baixa temperatura reduz as emissões de CO₂

“O asfalto inovador contribui para a sustentabilidade”, explica Anthony Smith da Tarmac. “A redução em CO₂ é de oito a doze por cento. Essas contribuições são um requisito fundamental para a indústria da construção britânica. Somos desafiados a encontrar novas soluções que sejam mais ecologicamente responsáveis. E nós conseguimos superar esse desafio”. A produção de asfaltos de baixa temperatura é possibilitada por um módulo de betume-espuma da Benninghoven: ao misturar betume quente com água, o betume espuma até um volume muitas vezes superior ao seu volume original e reduz temporariamente sua viscosidade, permitindo aos clientes produzir e aplicar asfalto a temperaturas mais baixas — sem comprometer suas propriedades.

Anthony Smith, Diretor Técnico da Tarmac

“O inovador asfalto de baixa temperatura contribui para a sustentabilidade. Economizamos de oito a doze por cento de CO₂. O processo de mistura não representa qualquer desafio para a nossa TBA 4000.”

Anthony Smith, Diretor Técnico da Tarmac

Melhor equilíbrio ambiental

O equilíbrio ambiental também melhora significativamente: uma produção diária de 2.000 t de asfalto de baixa temperatura permite, em comparação com materiais de mistura a quente, uma economia de 1.800 l de óleo combustível ou um equivalente energético, assim como uma redução de 6 t nas emissões de CO₂. “O processo de mistura de nossa fórmula inovadora não representa qualquer desafio para a TBA 4000”. Os usuários das estradas também têm motivos para ficar satisfeitos: o asfalto de baixa temperatura esfria mais rápido, permitindo liberar a circulação mais cedo.

Aqui, você pode saber mais sobre o asfalto de baixa temperatura.

Saber mais

Reciclagem de asfalto com usinas da Benninghoven

A adição a frio é a tecnologia preferida para a reciclagem de asfalto no Reino Unido. Até 30% do asfalto antigo é transformado em novo material de mistura. Muitas vezes, o teor de umidade é de quatro por cento ou superior. É aqui que o sistema de adição fria de adição multivariável da Benninghoven mostra suas vantagens: ele dosifica o material gradualmente no processo de mistura, evita choques de vapor e, assim, protege a usina. Ao mesmo tempo, garante materiais de mistura altamente qualificados com uma proporção de material reciclado.

Tolles Produkt
Usinas TBA em ação na Tarmac

Multifacetadas e versáteis: as usinas da Benninghoven do tipo TBA

  • Potência de alta tecnologia da usina com uma capacidade de mistura de até 320 t/h
  • Princípio “Plug & Work” para uma montagem rápida, expansão modular e interfaces claras entre a Benninghoven e o cliente, para uma tecnologia mais sustentável das usinas
  • Tecnologias de reciclagem
  • Benefícios para o usuário graças aos elevados padrões de ergonomia e segurança

Atender aos requisitos do mercado com a tecnologia TBA

O tipo de usina TBA consiste em usinas de asfalto pensadas ao pormenor e com um elevado padrão de qualidade. Além disso, a tecnologia pode ser adaptada às mais variadas condições de mercado. Esse também é o caso na Grã-Bretanha, conforme demonstrado por esses exemplos — além da Tarmac.

Demanda do mercado: pré-dosadores cobertos

Pré-dosadores cobertos para o mineral branco mais seco possível, para trabalhar de forma energeticamente eficiente, com um baixo teor de emissões e de modo a conservar a usina — tudo isso sem qualquer problema na Benninghoven. A construção metálica atende a inúmeros desejos dos clientes — e ajuda a economizar energia: a redução da umidade no mineral em 1% reduz o consumo em 1 l de combustível por 1 t de asfalto acabado. Uma produção diária de 2.000 t significa que podem ser economizados 2.000 l de óleo ou gás. Esse valor corresponde à necessidade de aquecimento de uma casa.

Demanda do mercado: sistema de transferência de chaves

Sistema de transferência de chaves para maior segurança no trabalho e maior produtividade durante os trabalhos de manutenção (padrão na Benninghoven).

Demanda do mercado: unidade de skimmer no despoeiramento

Unidade de skimmer em vez de pré-separador no despoeiramento, para uma maior eficiência de separação do Filler próprio e, assim, uma elevada qualidade das fórmulas.

Demanda do mercado: queimador misto

Combustão de vários combustíveis simultaneamente. Dependendo da versão, os queimadores EVO JET podem ser operados com até quatro combustíveis diferentes — sem adaptações mecânicas. Para alternar entre os combustíveis, basta pressionar um simples botão.

Demanda do mercado: pesagem precisa

Atingir a carga ideal dos caminhões de materiais de mistura através de uma pesagem precisa (± 50 kg), de modo a obter um aproveitamento máximo da carga útil e, ao mesmo tempo, evitar uma sobrecarga. Isso também contribui para um baixo desgaste dos veículos, assim como para a segurança.

Demanda do mercado: mistura de betume

Possibilidade de misturar betume para economizar depósitos: alguns tipos básicos de betume são armazenados e, dependendo das exigências, misturados em proporções variáveis na balança de betume.