Usina de asfalto RPP 4000 da Benninghoven em ação na Knäble

Reciclagem máxima graças ao gerador de gás quente da Benninghoven

A nova RPP 4000 da Benninghoven já produziu material de mistura com 96% de asfalto antigo

A Benninghoven designa como Recycling Priority Plants (RPP — Instalações Prioritárias de Reciclagem) as usinas que foram concebidas principalmente para a produção de asfalto com uma elevada taxa de reciclagem. Através da integração de um gerador de gás quente — a tecnologia de reciclagem líder da Benninghoven — os clientes podem cumprir os mais elevados requisitos no que diz respeito a uma operação com um baixo teor de emissões e também produzir material de mistura fresco com 90 + X% de asfalto reciclado. Esse valor é superior a qualquer outro sistema de reciclagem existente no mercado. Com vantagens convincentes para as entidades exploradoras, como um exemplo do sul da Alemanha demonstra de forma impressionante.

Biberach (Baden) | Alemanha

O próprio processo de produção de asfalto com mineral branco como base é uma tarefa exigente, que requer uma usina com uma tecnologia perfeitamente coordenada. Contudo, se o processamento de novo material de mistura consistir principalmente em asfalto reciclado e material fresado, praticamente não há forma de evitar o uso do gerador de gás quente da Benninghoven. Essa tecnologia permite às entidades exploradoras converter 100% do asfalto antigo em novo material de mistura, sempre sob o cumprimento das rígidas especificações da nova norma alemã TA-Luft. Esse fato também foi comprovado há algum tempo por uma RPP 4000 da empresa de construção Knäble GmbH Straßenbau, de Biberach (Baden).



Veja mais...

Assista ao vídeo para descobrir as vantagens do gerador de gás quente da Benninghoven.

Novo RPP 4000 para taxas de reciclagem máximas

Qualquer pessoa que dirija na Bundesstraße 33 e passe pelo vale Kinzig, na Floresta Negra, ficará espantado assim que chegar ao município de Biberach: ali, verá uma nova usina ultramoderna da Benninghoven, do tipo RPP 4000, com uma altura total de 55 m. A nova usina de asfalto da empresa de construção Knäble GmbH Straßenbau, de Biberach (Baden), é especial em muitos aspectos. Por exemplo, a RPP 4000 substitui uma usina do tipo TBA 3000, que, durante dez anos, produziu de forma confiável o material de mistura para as duas colunas de asfalto da Knäble. Um período de tempo curto para usinas de asfalto. A maioria das usinas da Benninghoven tem um ciclo de vida de 30 a 40 anos.

Então, por que a empresa tradicional de construção de estradas investiu em nova tecnologia ao invés de uma solução Retrofit? “O Retrofit era, na verdade, o que estava inicialmente planejado. Em nossa região, várias empresas investiram recentemente em suas usinas, portanto, o ambiente de mercado é bastante dinâmico. Juntamente com nossos parceiros de contato da Benninghoven, analisamos as vantagens e desvantagens de diferentes soluções técnicas. Como resultado, chegamos à conclusão de que a aquisição de tecnologia nova nos permitiria atender nossos requisitos de reciclagem, qualidade e desempenho de forma muito mais eficiente e sustentável — e então optamos pela nova usina da Benninghoven”, explica Nicolas Knäble, Diretor executivo de quarta geração. “Outra das razões que nos levaram a optar pela tecnologia da Benninghoven foi o fato de a construção de estradas em Baden-Württemberg estar fortemente baseada na reciclagem. Além disso, somos uma empresa que tem o objetivo de agir de forma orientada para a conservação de recursos, ou seja, usar o mínimo possível de mineral branco e betume e aumentar a taxa de asfalto antigo, para que possamos atingir a maior taxa de reciclagem possível.”

Nicolas Knäble, Diretor executivo da Knäble GmbH Straßenbau

“Somos uma empresa que tem o objetivo de agir de forma orientada para a conservação de recursos.”

Nicolas Knäble, Diretor executivo da Knäble GmbH Straßenbau

Em ação na Knäble GmbH, a usina de asfalto RPP 4000 da Benninghoven cumpre o objetivo de reciclagem máxima com emissões reduzidas.

Gerador de gás quente com princípio de contracorrente

O tambor de reciclagem em princípio de contracorrente com gerador de gás quente da Benninghoven: o queimador queima no gerador de gás quente e aquece intensivamente o ar recirculado. Esse ar quente aquece o material reciclado no tambor de reciclagem, de forma indireta e cuidadosa para com o material. O material aquecido até à respectiva temperatura final entra nos silos de armazenamento, de onde é alimentado no misturador.

A Benninghoven garante o cumprimento da norma alemã TA-Luft

O investimento é de grande importância estratégica para a empresa de construção de estradas. Com a tecnologia de reciclagem líder do mercado — o gerador de gás quente da Benninghoven — é possível converter 100% do asfalto antigo em novo material de mistura. Isso permite à Knäble atingir seu objetivo de reciclagem máxima, ou seja, fazer pleno uso das quantidades de adição de asfalto antigo legalmente permitidas no estado de Baden-Württemberg para a produção de novo material de mistura. “A reutilização de materiais de construção economiza energia e presta uma contribuição importante para a proteção climática”, diz o ministro estadual dos Transportes Winfried Hermann. A implementação da norma já resultou na reciclagem de 2,5 milhões de t de asfalto em Baden-Württemberg no ano de 2018 — um valor bastante superior à média nacional.

Além disso, no final de 2021, foi aprovada a versão revisada das “Instruções Técnicas Alemãs sobre Controle de Qualidade do Ar” (TA-Luft — Technische Anleitung zur Reinhaltung der Luft). “Os rigorosos valores-limite definidos nessa norma podem ser cumpridos usando o gerador de gás quente, o que a Benninghoven assegura em todas as faixas de potência e sempre com altas taxas de reciclagem”, enfatiza Steven Mac Nelly, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento na Benninghoven. “Isso torna as usinas do tipo RPP ideais para os requisitos da Knäble”. Conforme mencionado anteriormente, RPP significa Recycling Priority Plant, ou seja, uma usina que prioriza o fluxo de material reciclado e produz a maior parte do asfalto com taxas de reciclagem mais elevadas.

Steven Mac Nelly, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Benninghoven

“A Benninghoven garante o cumprimento da rigorosa norma alemã TA-Luft.”

Steven Mac Nelly, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Benninghoven

Pioneiros na tendência do futuro — reciclagem de asfalto

“Enquanto empresa moderna, apoiamos as rigorosas especificações legais, pois queremos liderar o caminho”, esclarece Nicolas Knäble. “Um dos nossos objetivos é também reciclar a quantidade máxima de asfalto possível. E com nossa nova usina, não temos qualquer dificuldade em atingi-lo. Graças à tecnologia Benninghoven, tudo flui de forma perfeita”. No que diz respeito a valores de carbono total (Cges), a RPP 4000 da Knäble atinge valores bastante inferiores ao valor-limite a ser respeitado. “Isso nos permite verificar com satisfação que a usina funciona de forma perfeita e, consequentemente, usar material de mistura de primeira classe no canteiro de obras”, diz Nicolas Knäble, que ainda vê na reciclagem de asfalto muitas outras oportunidades para o futuro: “Naturalmente, quando se trabalha com uma tecnologia como essa, tenta-se aumentar a taxa de reciclagem a cada ano e conservar ainda mais os recursos.”

“Um dos nossos objetivos é reciclar a quantidade máxima de asfalto possível. E com nossa nova RPP 4000, não temos qualquer dificuldade em atingi-lo.”

Nicolas Knäble, Diretor executivo da Knäble GmbH Straßenbau

Qualidade irrepreensível

“No que diz respeito à produção de material de mistura para camadas de base, já atingimos 96%. A qualidade alcançada é irrepreensível”, relata Nicolas Knäble. “Acabaram os tempos em que o processamento de asfalto reciclado era um desafio. Em vez disso, temos que nos certificar de que conseguimos regularmente grandes encomendas de fresagem ou obras de substituição de revestimentos, de modo a obter a matéria-prima necessária para a produção de material de mistura de reciclagem e não ficar sem o ‘ouro negro’.”

Maior capacidade de mistura e uso mais eficiente da energia

A RPP 4000 não só integra a tecnologia de reciclagem sustentável proporcionada pelo gerador de gás quente, como também aumenta a capacidade de mistura. “Nossa nova usina é uma RPP 4000 com um misturador de 4 t, para uma capacidade de produção de 320 t/h”, diz Nicolas Knäble. Com a antiga usina, sua empresa somente conseguia produzir 240 t/h de asfalto. “Esse valor já corresponde quase na totalidade à produção do nosso gerador de gás quente atual, que pode aquecer 220 t/h de asfalto antigo e contribuir para o processo.”

Pronta para grandes projetos e para o armazenamento de diversas fórmulas: a RPP 4000 consegue produzir 320 t de material de mistura por hora — e reservar 440 t no silo de carregamento de material de mistura com quatro câmaras.

O queimador misto EVO JET 3 aumenta a confiabilidade no sucesso futuro

Muitos outros componentes também foram concebidos para aumentar a produção e a eficiência. “A configuração da RPP 4000 também inclui dois queimadores mistos EVO JET 3 — um para o tambor de secagem de mineral branco e um para o tambor de reciclagem — que, além de óleo e carvão pulverizado, também podem queimar gás natural com um elevado grau de eficiência. Isso permitirá à Knäble reagir com flexibilidade às futuras flutuações do mercado nos preços de energia e usar sempre o combustível mais barato”, diz Steven Mac Nelly da Benninghoven.

Investimento no futuro

Considerando todos os fatores, a nova usina de asfalto pode ser considerada um verdadeiro investimento no futuro da Knäble. A tradicional empresa familiar da Floresta Negra emprega cerca de 150 pessoas. Duas colunas de asfalto da empresa processam a maior parte do material de mistura produzido nos canteiros de obras de construção de estradas na região, usando alimentadores e pavimentadoras Vögele, assim como compactadores Hamm. Uma instalação de filtração Kleemann e fresadoras Wirtgen também fazem parte da frota.

Em apenas doze dias, a Knäble GmbH Straßenbau renovou a camada de ligação e a camada de revestimento de um trecho da L 98, perto de Kehl, com 3,2 km de comprimento.

Em apenas doze dias, a Knäble GmbH Straßenbau renovou a camada de ligação e a camada de revestimento de um trecho da L 98, perto de Kehl, com 3,2 km de comprimento. Foram usadas inúmeras máquinas do Wirtgen Group — incluindo a recentemente adquirida pavimentadora Vögele SUPER 2100-3i e os compactadores Hamm. O material de mistura de asfalto foi, naturalmente, produzido pela nova usina da Knäble — a RPP 4000, da Benninghoven.

Ir para o relatório de projetos

O gerador de gás quente da Benninghoven define o padrão no que respeita à tecnologia de reciclagem

A combinação perfeita entre taxas de reciclagem elevadas e emissões reduzidas só pode ser alcançada usando o princípio de contracorrente com gerador de gás quente. A razão: através do aquecimento do asfalto antigo, o mineral branco adicionado não tem que ser superaquecido no processo de mistura para atingir o nível de temperatura necessário, que varia entre 140 °C e 180 °C para o asfalto quente. Como resultado, o processo economiza não apenas emissões, mas também muita energia.

Redução de emissões para um valor inferior ao nível exigido pelo TA-Luft

O processo é possível graças ao uso do gerador de gás quente da Benninghoven: enquanto a queima direta “queimaria” o material reciclado betuminoso, o gerador de gás quente somente o aquece indiretamente, de forma cuidadosa, até ser atingida a temperatura de processamento ideal. Ao mesmo tempo, o processo reduz as emissões para um valor inferior ao nível exigido pelo TA-Luft — por exemplo, através do pós-tratamento térmico da maior parte dos hidrocarbonetos contidos no fluxo de gases de escape. Na usina da Knäble, uma medição contínua das emissões na chaminé da usina comprova o cumprimento dos valores-limite em qualquer momento. “Em comparação com a operação da antiga usina, nossa taxa de reciclagem média aumentou de 25% para 60%”, relata orgulhosamente Myriam Knäble, esposa do diretor administrativo. “E com a nova tecnologia, economizamos 770 t de CO₂ por ano, em comparação com a antiga usina.”

Menos CO₂, menos custos

Os preços do CO₂ na Alemanha, o mercado em que Knäble opera, representam uma enorme vantagem. Isso porque, desde há pouco tempo, as empresas de fornecimento de energia estão obrigadas a adquirir direitos de emissão — mais conhecidos como certificados de CO₂ — para combustíveis (com exceção dos biocombustíveis). Os custos incorridos aumentam anualmente e são cobrados aos clientes. Portanto, pode-se dizer que as vantagens do futuro estão reservadas para as empresas energeticamente eficientes e, consequentemente, com um baixo teor de emissões e ecologicamente responsáveis.

“Com o novo comando, nosso trabalho é facilitado especialmente pelo gerador de fórmulas de reciclagem. Ele nos permite aumentar sucessivamente a taxa de reciclagem e ajustar automaticamente a relação de mineral branco e material reciclado, assim como a quantidade de betume.”

Nicolas Knäble, Diretor executivo da Knäble GmbH Straßenbau

Descubra agora o gerador de gás quente:

O líder em tecnologia de reciclagem da Benninghoven

Saber mais...