O maior projeto de construção da Europa

Estradas – desde a antiguidade e a idade média, elas se tornaram as principais vias do comércio internacional. Uma das estradas mais importantes era a rota da seda que ligava a Turquia ao Leste Asiático. O seu equivalente europeu, a rota do âmbar, ia de Baltikum, ao longo da costa do mar Báltico, passando através da atual Eslovênia, até Veneza. A Polônia era e ainda é um importante território de trânsito entre o norte e sul da Europa e entre a Europa ocidental e oriental. A construção de uma nova rodovia trás, tanto para a Polônia como para toda a Europa, muitas vantagens comerciais e econômicas.

Conexões de transporte ativas são um importante fator para uma economia em desenvolvimento. A futura A1 pertence aos 10 eixos de transporte mais importantes que atravessam a Europa, desde o Atlântico até o Volga e desde a Escandinávia até o Mediterrâneo. Após o término da sua construção, ela ligará o porto de Danzig no mar Báltico, através da cidade Tcheca de Brno e da capital da Eslováquia, Bratislava, com Viena e o sul da Europa. 582 km desse trecho encontra-se em território polonês. No final de 2005, começaram os trabalhos dos primeiros cortes da obra. Ela percorre, desde Rusocin, atravessando a cidade portuária de Danzig, 90 km em direção ao interior até Nowe Marzy.

Planejamento básico – a razão do sucesso

A Joint-venture sueca-polonesa Skanska-NDI foi adjudicada com o pedido do planejamento e construção do até então maior projeto rodoviário da Europa. O novo eixo de transporte deverá, no entanto, satisfazer mais do que "apenas“ as exigências das modernas estradas de longa distância. A Skanska-NDI dá grande importância ao lado econômico. Isso significa que o consórcio deve colocar em prática processos eficientes, usando máquinas e procedimentos de alta qualidade, que assegurem a qualidade da pista de rolamento no longo prazo e possibilitem a construção da rodovia dentro do prazo estabelecido.

A1 – um projeto que protege o meio ambiente

A construção de uma rodovia sempre implica na invasão pelo homem de habitats naturais. Este também é o caso da construção da A1, mas aqui foi concebido um equilíbrio adequado. Por exemplo, foram construídas muitas pontes para animais selvagens, através das quais as renas e os porcos selvagens podem chegar ao outro lado da rodovia em segurança. As cegonhas constituem uma outra espécie cujo habitat foi atravessado pela rodovia. Elas são muito disseminadas na Polônia e em muitos vilarejos encontra-se a maioria da sua população. Nesses locais, onde muitos telhados se encontravam muito perto do novo traçado, o seus ninhos foram levados para outros locais de modo muito tranquilo e com extremo cuidado, para que no futuro as cegonhas jovens possam se desenvolver. Mas o compromisso com um meio ambiente saudável não termina aí. A Skanska-NDI dá muito valor a procedimentos e máquinas que protegem o meio ambiente, que consomem menos combustível e minimizam a emissão de ruído e de gases de combustão. Onde possível, são utilizados materiais recicláveis.

Preparações para a construção da rodovia

A construção de rodovias representa uma forte invasão aos habitats naturais. Antes do início das obras, por esse motivo, foram tomadas muitas medidas para que a grande quantidade de animais selvagens encontre um equilíbrio adequado.

Dinâmica organizada

O desenvolvimento do projeto foi marcado por regras claras e voltadas a objetivos. Uma viagem ao longo dos 90 km do canteiro de obras principal comprova: Aqui cada um sabe o que precisa fazer. Os trabalhos ocorrem com o máximo de coordenação e planejamento. Inúmeras equipes trabalhando em paralelo constroem pontes, fazem terraplanagem, constroem canais ou constroem o leito da estrada. Assim a Skanska consegue manter, através de pessoal bem treinado, uma comunicação e transparência constantes. Também faz parte do projeto uma excelente documentação. E, mesmo assim, houve e continua a haver eventos imprevistos que desafiam a flexibilidade e a criatividade das equipes. Essas ocorrências variam desde a imprevisibilidade do tempo, passando por achados arqueológicos, até bombas remanescentes da 2ª guerra mundial. Mas, até o momento, os profissionais de construção poloneses encontraram para cada desafio uma solução, para que o projeto, mesmo após dois anos do início, e ao contrário de muitos outros grandes projetos, ainda esteja dentro do prazo.

Com o know-how dentro do orçamento

Os trabalhadores empregados na construção do leito foram recrutados de várias empresas de construção. Portanto, os níveis de conhecimento e de experiência das várias equipes de construção eram muito heterogêneos no início dos trabalhos. Através de um treinamento abrangente, a Skanska-NDI conseguiu com que toda a mão de obra de construção atingisse um alto nível de conhecimento individual e se familiarizasse perfeitamente com as suas máquinas e métodos de construção. O know-how dos trabalhadores é um fator do sucesso na construção da A1. Como a construção e a compactação são realizadas em quase 100 % por máquinas da HAMM e da VÖGELE, a WIRTGEN POLSKA organizou treinamentos abrangendo a operação de acabadoras VÖGELE e de rolos compactadores HAMM, mas também sobre a técnica de aplicação e dúvidas sobre a construção asfáltica. Portanto, ficou claro desde o início que os cursos seriam conduzidos no idioma polonês. Isso é essencial para assegurar o máximo de transferência de conhecimento. Os resultados dessa preparação básica surgiram em pouco tempo, porque a Skanska-NDI utilizou de modo ideal os recursos dos rolos compactadores HAMM e operou os equipamentos de compactação da maneira mais econômica.

Economia e eficiência

Para executar o projeto da maneira mais eficiente, foram aplicadas na construção e na compactação quase exclusivamente máquinas do Grupo Wirtgen. Todas as equipes de construção foram exaustivamente treinadas sobre elas desde o início.

Segurança – é essencial nos locais de trabalho

Ao lado dos dados técnicos e da produtividade, a segurança também desempenhou um importante papel. Medidas de segurança ativas e passivas fizeram com que a Skanska fosse reconhecida mundialmente como uma das empresas com menor número de acidentes. Os rolos compactadores HAMM utilizam esse conceito com excelência. Os rolos compactadores da Série 3000 e os rolos compactadores tandem da Série HD são equipados com grandes cabines panorâmicas nas quais o motorista conta com uma boa visão do local de trabalho. Outras características importantes são, por exemplo, as cabines ROPS ou os símbolos claros sobre os elementos de comando. Os engenheiros de segurança da Skanska-NDI gostam principalmente dos rolos compactadores tandem da Série DV – os rolos compactadores nos quais o motorista dirige sempre na dianteira. O máximo em segurança é aqui o conceito!

Máquinas do Grupo WIRTGEN - asseguram a qualidade

"Para esse projeto exigente eu escolhi apenas as melhores máquinas“. Isso disse alguém que precisa saber disso: Mariusz Gielniewski é o responsável pela aquisição e operação das muito mais de 600 máquinas de construção desse projeto. Portanto não havia outro caminho senão usar as máquinas de construção de estradas do Grupo WIRTGEN. Porque as máquinas da HAMM, WIRTGEN e VÖGELE contam não apenas com as tecnologias conhecidas para a construção de uma rodovia moderna, mas também excedem nos itens de disponibilidade, produtividade e qualidade dos serviços. Não por acaso, estavam ativas nesse canteiro de obras, em julho de 2007, um total de 99 máquinas do Grupo WIRTGEN – das quais aprox. 80 rolos compactadores da HAMM. Para essa alta disponibilidade, contribuiu sem dúvida o Serviço Completo da WIRTGEN POLSKA. Uma equipe de técnicos de serviço trabalha de modo fixo na oficina local em Rusocin. Ali eles se ocupam com toda a manutenção necessária que, conforme o desejo da Skanska-NDI, é realizada estritamente de acordo com as normas do fabricante. Mas eles realizam também outros trabalhos de apoio, por exemplo, a instalação posterior de espalhadores nos rolos compactadores tandem. Obviamente a equipe profissional mantém em estoque no local da obra as principais peças de reposição e de desgaste. Mas se faltar uma peça, entra em cena o suporte rápido e descomplicado dos colegas da WIRTGEN POLSKA em Poznan ou da fábrica na Alemanha.

Nasce uma rodovia...

A construção de uma rodovia é sempre um projeto muito complexo. Nele, a complexidade aumenta com a distância, porque cada novo quilômetro apresenta, devido à sua topografia ou a variações de propriedades do solo, novas exigências técnicas. Igualmente exigentes são o planejamento, a organização e a logística na obra. Imediatamente após o início do projeto, as primeiras máquinas do Grupo WIRTGEN já estavam em atividade, para proporcionar a realização sem interrupções, quase simultaneamente, dos sete cortes existentes no trecho de 90 km da A1.

Do início ao local

Logo após o início do projeto, as primeiras máquinas do Grupo WIRTGEN já estavam em atividade. E também o rolo compactador 3412, nesse caso com um revestimento liso.

Fase 1: A terraplenagem

Uma base sólida é decisiva para a vida útil de uma rodovia. Infelizmente nesse projeto, o solo existente nem sempre apresentou as propriedades técnicas desejadas: Ou faltava resistência ou o solo era de difícil compactação. Por isso, foram substituídos até o verão de 2007, aprox. 20.000.000 m3 de terra. O novo solo aplicado foi então, junto com o material existente, estabilizado em muitos locais. Para isso foram utilizadas numerosas equipes: No total, 10 estabilizadores de solo WIRTGEN dos tipos WR 2500 S e WR 2000 misturaram o material de ligação pré-espalhado com o solo, que foi em seguida compactado com rolos compactadores HAMM. Graças a esse processo, foram melhoradas as propriedades de plasticidade e foi possível alcançar rapidamente um aumento da resistência. Na maioria dos casos, um compactador de rolos 3412 HT equipado com revestimento liso do rolo, trabalhou logo após o estabilizador de solo. Nos locais onde o teor de umidade ainda estava muito alto, foi utilizado o compactador de rolos 3412 com revestimento dos rolos com pés de carneiro.

Fase 2: Camadas de proteção contra congelamento

As camadas de proteção contra congelamento têm uma grande influência na vida útil de um revestimento asfáltico, porque elas evitam os danos do congelamento no revestimento superior devido ao seu efeito drenante. Na construção dessas camadas, a Skanska-NDI utilizou em muitos cortes a tecnologia de compactação profunda da VÖGELE e a tecnologia de compactação da HAMM. A aplicação de brita foi realizada por acabadoras do tipo SUPER 1900-2. A compactação da mistura de basalto e granito importada da Escócia utilizou uma frota de três rolos compactadores HAMM: O HD 120 trabalhou com vibração, um HD O 90 V compactou com oscilação e um GRW 10 utilizou o seu peso próprio para uma alta carga estática linear.

Fase 3: Aplicação de asfalto

A terceira fase, a aplicação de asfalto, utilizou principalmente o trabalho de rolos compactadores HAMM, com os quais o leito de 90 km de comprimento foi revestido com quatro camadas de asfalto: 2 camadas de resistência com 7,5 cm, uma camada de união de 8 cm e uma camada de 3,5 cm de espessura de asfalto split mastique. A Skanska-NDI utilizou, para a compactação de todas as camadas, os rolos compactadores em grupos com pesos próprios bem definidos. Um rolo compactador tandem HD 120 (peso próprio 12 t) trabalhou sempre junto com 2 – 4 rolos compactadores do tipo HD O 90 V ou HD O 75 V. A quantidade de máquinas utilizadas dependeu da largura da pista. Todos os rolos compactadores de 7 e 9 t estavam equipados com dispositivos de corte e compressão de bordas. Por isso, um deles foi utilizado para a preparação das bordas. Enquanto isso, os outros se ocuparam do rápido aumento do grau de compactação e do acabamento final. Nos locais onde havia muitas bordas para aparar e juntas para compactar, a Skanska-NDI utilizou adicionalmente as vantagens do rolo compactador tandem DV 70 VO com tração em todas as rodas. Ele se destaca pela sua extrema agilidade e a excelente visão do leito da estrada, assim como pela borda do seu revestimento. O chefe da obra ao longo da A1, o utilizou em todos os locais onde um esterçamento e uma manobrabilidade de precisão era especialmente importante para a qualidade da obra. Mariusz Gielniewski explicou porque: "Estes são os rolos mais refinados e tecnicamente mais avançados que eu já vi na minha vida. Os utilizaremos sempre, quando o trabalho for complexo“.

Oscilação: O melhor em eficiência e economia

Os rolos compactadores de 12 t trabalharam nesta obra com vibração ou estáticos. Todos os outros rolos compactadores tandem compactaram com oscilação e vibração – mas de acordo com um esquema de rolos basicamente elaborado. Desse modo, obtém-se um grau de compactação ideal com uma utilização mínima de máquinas e tempo. A eficiência conta! Por isso, é muito interessante observar a construção de pontes, porque ao longo dos primeiros 90 km da A1 existem no total 86 obras de pontes! Trata-se principalmente de viadutos ou pontes para animais sobre a rodovia, mas há também 5 longas pontes sobre vales. Nesses casos, os rolos oscilatórios asseguram um eficiente trabalho. Desse modo, a compactação dinâmica aumenta rapidamente o grau de compactação, sem levar ao perigo de um excesso de compactação. Simultaneamente, ocorrem apenas 15 % das oscilações em comparação com a vibração. Desse modo, os rolos oscilatórios também podem compactar dinamicamente construções susceptíveis a vibrações. A Skanska-NDI reconheceu rapidamente o valor da oscilação da HAMM e, por isso, utiliza essa tecnologia também em todos os casos de construção asfáltica. Mariusz Gielniewski sabe "que com a oscilação, o grau de compactação é atingido mais rapidamente, com menos transições e, portanto, com menos horas de trabalho". Em uma rodovia de 4 pistas com 582 km de comprimento e com 4 camadas de asfalto, isso é seguramente um fator importante no custo.

Rolos compactadores

Rolos de rodas de borracha